Como novas linhas de trabalho foram se agregando a Umbanda


As religiões abstratas lutavam contra os cultos da natureza, dizendo que eram pagões, porque queriam controla-los dentro de um Templo. Essas religiões foram sendo sufocadas e desaparecendo do lado material, mas permaneceram vivas no Astral.

Sendo a Umbanda uma religião natural, viram nela a oportunidade de voltar a cultuar Deus na natureza, pois queriam um trabalho ativo e encontraram na umbanda a oportunidade de exercerem sua religiosidade.

Viram em Xangô a Divindade Agni, em Ogum a Divindade Áries e passaram a adaptar seus cultos e simbolos à Umbanda, abrindo novas "linhas de trabalho", isto é, uma forma de trabalhar dentro da Dinâmica Umbandista.

SULTÃO DAS MATAS - viveram no oriente e cultuavam agni
ÁGUIA BRANCA - PANTERA NEGRA - indios da américa do norte
PEDRA NEGRA - FLECHA BRANCA - dE outraS civilizações como Maias e Astecas

A Umbandaé uma religião MONOTEÍSTA, possue um Ser Supremo (Deus/Olorum) e cultua suas Divindades (Orixás)

Outros povos, ávidos em trabalhar, também aderiram a Umbanda como os CIGANOS (seu povo não permitia a incorporação) e os NEGROS (incorporavam apenas os Orixás, espiritos eram "eguns).

Outros povos e culturas foram se agregando e formando a extensa linha de trabalho que temos na Umbanda, seja ela grande (pretos-velhos, caboclos) ou pequenas e pouco utilizada por algumas casas como os CANGACEIROS.

Assim se formaram as linhas de trabalho da Umbanda e que são, por enquanto, essas:

PRETOS-VELHOS
CABOCLOS
ERÊS
BAIANOS
BOIADEIROS
MARINHEIROS
SEREIAS
CIGANOS
EXU
POMBA-GIRA
EXU-MIRIM

As linhas de Erês, Exu-Mirim e Sereia são formadas por elementais

Outras linhas são pouco utilizadas e constumam baixar no terreiro junto com linhas afins, como:

MALANDROS
PAJÉS
GUERREIROS AFRICANOS
CANGACEIROS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário